9

Trotes e galopes na capital paulista

Cavalhadas, romarias a cavalo, passeio de carro de bois, cavalos e charretes fazem a alegria de adultos e crianças durante o festival

Carros de bois, charretes e cavalos invadem São Paulo durante a 16ª edição do Revelando São Paulo – Festival da Cultura Paulista Tradicional, que acontece de 14 a 23 de setembro, no Parque da Vila Guilherme-Trote.  Nos 10 dias de evento, além de conhecer e vivenciar as manifestações artísticas, culturais, gastronômicas e o artesanato tradicionais de mais de 200 municípios, o público terá contato com mais de 300 animais, entre cavalos, bois, mulas e búfalos oriundos de vários municípios paulistas.

Os Carros de Bois, charretes e cavalos fazem apresentações diariamente na pista do Trote, realizando passeios com crianças e adultos. No espaço do Rancho do Tropeiro, haverá ainda culinária típica, oferecendo almoço e jantar, com pratos tradicionais, além de café caipira, bolinho de chuva, broa de milho, entre outros.

Os animais ocupam as ruas da Zona Norte durante o cortejo de abertura do evento, que ocorre no dia 14/09 (domingo), saindo do Parque da Juventude até o Parque da Vila Guilherme. O encerramento é contemplado no domingo seguinte, dia 23/09, com o Encontro de Romeiros, quando mais de 300 animais, de 20 romarias do estado tomam conta das ruas do bairro e da festa.

Devido ao sucesso de 2011, o Revelando apresenta novamente uma homenagem especial à vocação do bairro e novo local do evento: a tradicional Corrida de Trote. Com a participação de corredores da década de 1970, membros da Sociedade Paulista de Trote, que com seus Surks e animais correm a mais de 60km/h.

Os animais, vindos de diversos municípios do interior, como Mogi das Cruzes, Piquete e Caçapava, são devidamente acomodados no Rancho do Tropeiro, numa área de 10 mil m². Com cobertura veterinária, recebem assistência integral, através de uma equipe de 20 profissionais em regime de 24 horas.

Sobre o Revelando São Paulo

Desde seu lançamento em 1997, o Revelando São Paulo é realizado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Ganhou forma, repetindo e ampliando os encontros característicos das várias manifestações artísticas vivas em todas as regiões do estado e trazendo outras, que se solidificam ao longo da programação do evento. Foi assim com os Festivais da Amizade e de Bonecos de Rua e Cabeções, a Reiada, festa de Cosme e Damião, os encontros de Violeiros, Sanfoneiros, Catira, São Gonçalo, Adoradores de Santa Cruz, Caminheiros, Irmandades Religiosas, Romeiros, Manifestações Cosmopolitas, as noites de São João e dos Tambores, o Congado paulista.

A construção da Cultura de Paz é disseminada com a cerimônia da paz, e o foco no respeito à diversidade para o envolvimento de todos: produção, expositores, grupos participantes, parceiros e o público visitante.

A ideia é difundir a cultura do interior paulista, reflexo também das tradições de todo o país e ainda daquelas herdadas de outros povos trazidas ao cotidiano de São Paulo pela imigração. O resultado desse trabalho começou a se espalhar com atividades artísticas desenvolvidas pela Abaçaí Cultura e Arte, grupo que hoje se tornou Organização Social.